27 de mai de 2013

Últimos Dias - apaixonado por um Mórmon

Latters Days, e a fantasia com religiosos

No filme Latters Days (Últimos Dias), Christian, um jovem de 20 e poucos anos, de Los Angeles, se apaixona pelo élder Aaron Davis, que chegou na cidade com mais três missionários mórmons para se hospedarem no mesmo condomínio que ele morava. Chris, um gay de balada, assumido, e de relacionamentos efêmeros, e um élder tradicional, se é que tem algum que não seja. Esses mundos antagônicos irão se chocar, trazendo conseqüências surpreendentes.

Últimos Dias é uma comédia romântica gay (também drama), escrita e dirigida por C. Jay Cox. Estrelando estão Steve Sandvoss como o missionário Aaron, e Wes Ramsey como o vizinho ChristianJoseph Gordon-Levitt aparece como Elder Ryder, e Rebekah Johnson como Julie Taylor. Participações de Mary Kay PlaceErik PalladinoAmber Benson, e Jacqueline Bisset.

O longa estreou no Philadelphia International Gay & Lesbian Film Festival em 2003, e foi lançado em vários estados dos EUA. Mais tarde, seu lançamento ocorre em alguns outros países e passa a ser exibido em vários festivais de cinema gay. Foi o primeiro filme a retratar abertamente o conflito entre os princípios da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e a homossexualidade. Houve até ameaças de boicotes de grupos religiosos contrários à exibição do polêmico filme. Na França, foi intitulado La Tentation d'Aaron, A Tentação de Aaron (foto).

Veja o filme Latters Days (Últimos Dias) completo e legendado:



Bela dupla!

Segunda-feira é dia dos mórmons lotarem as rodoviárias e aeroportos do país, nas inúmeras viagens missionárias que fazem. Assim como as Testemunhas de Jeová, com o costume de visitar as pessoas bem cedinho nos sábados ou domingo, no intuito de levá-las para o bom caminho da sua religião, os mórmons não são diferentes. Pelo contrário, assim como os vendedores de Avon ou Natura, estas reuniões, além da missão pastoral, podem também promover outros encontros, principalmente em se tratando de homens tão jovens e de boa aparência, como é o caso dos mórmons... Era como chamavam as pessoas não pertencentes à igreja que, na época era cristã e católica. O apelido passou a designar os integrantes da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, restaurada em 1830, nos EUA.

Na verdade, aquelas duplas de homens, sempre um brasileiro e outro estrangeiro (geralmente norte-americano) são chamados de Élder, o ofício do Sacerdócio do profeta Melquisedeque. De acordo com esta crença, o livro sagrado de escrituras de um antigo profeta mórmon (O Livro de Mórmon, Outro Testamento de Jesus Cristo - a bíblia mórmon) explica a importância desta diferenciação, onde o 'batizado' separa aqueles que serão reconhecidos e salvos no final dos tempos.

Quando eles desembarcam no país, fazem logo dupla com outro brasileiro para, juntos, irem de porta em porta, sempre vestidos de calça social escura, camisa branca e gravata, levar a palavra dos mórmons. De resto e segundo eles, somente esta religião é a única verdadeira, e que não podemos tomar café nem álcool, por ser coisas que fazem mal à saúde e à alma - um vício, assim como a homossexualidade (são totalmente contra).

Cheguei a receber algumas vezes uma dupla de mórmons na minha casa, mas não deu muito certo, pois eu dizia poder ajudar apenas com ações (dando aulas, por exemplo) e não com dinheiro. E no caminho, quando ia a uma reunião mórmon, perguntava-me: e as mulheres mórmons? Chegando lá, descobri que até nas reuniões os homens são separados das mulheres - só tinha homem! Eles explicavam que as mulheres tinham reuniões separadas, assim como nas reuniões judaicas. A diferença é que os mórmons homens se encontram em locais e horários diferentes das mulheres (antes ou depois, não lembro), e os judeus, também separados, porém na mesma sinagoga.

Já a atração sexual pelos mórmons nada mais é que uma fantasia erótica, assim como lemos em contos ou vídeos pornô, com sexo entre homens supostamente religiosos, do tipo padre, pastor evangélico, ortodoxos, ou qualquer outro símbolo de contato com algo que deveria ser imaculado. O fetiche está justamente nisso, como se o ato fosse uma deliciosa corrupção a dois, além dos trajes, batinas, túnicas, colarinhos e gravatas . O erotismo do secreto, do segredo, ou de estar fazendo algo errado.

Também, uma paixão pelo inalcançável, ou platônico. Se bem que a atualidade presencia bastante casos homossexuais entre religiosos. A vida sexual de um crente desperta fascínio em muitos, com a missão também de corromper, porém, o lado carnal e afetivo de quem acredita ser isso um pecado. Por outro lado, as igrejas com promessas enganosas em curar gays, convertendo-os em heterossexuais, só aumentam as estatísticas de suicídios, seja por vergonha da família (podendo ser a própria família - esposa e filhos), ou por não aceitarem ser uma 'coisa abominável', de acordo com a própria , sendo esta criada na interpretação e pregações dos padres e pastores. Tudo isso depois, e muito depois, da ciência já ter retirado da lista de enfermidades a preferência ou orientação sexual pelo mesmo sexo. orações para bobby Prayers for

Um comentário:

Este comentário poderá ser publicado no novo site homemrg.com