31 de mai de 2013

A sensualidade dos santos

Santa erotização!

Imagens de santos católicos já foram usadas em campanhas LGBT (espalhadas nos postes da Avenida Paulista durante a Parada Gay de 2011), com o slogan 'Sem camisinha, nem santo te protege!'. Nem precisa dizer que os religiosos, principalmente os católicos, ficaram possessos com a suposta ridicularização de imagens santas e, consequentemente, da própria fé cristã. Mas a relação entre os deuses (ou santos) e a sexualidade é um assunto que vem desde muito antes do próprio cristianismo, porém nem sempre foi tabu.

São João Batista por Ronaldo Gutierrez
Certo que a então nova religião romana sobrecarregou ainda mais a imagem imaculada dos santos, através das artes (pintura, gravuras, escultura, estátuas...), como seres intocáveis, sendo um sacrilégio pensar em qualquer coisa relacionada a sexo. Principalmente na Idade Média, ápice do poder cristão, onde as figuras sacras eram representadas apenas com as mãos e pés de fora, além do rosto. O resto do corpo era todo tampado por longas túnicas, tornando-se mais transparentes e marcando as curvas do corpo humano somente com a volta do classicismo, no Renascimento. A figura de Adão completamente nu tocando o dedo de Deus na capela Sistina é um exemplo popular para a erotização das figuras santas no mundo das artes (painel 'A Criação' de Michelangelo).

Nas religiões africanas e antigas, o sexo era fortemente relacionado às divindades e às forças da natureza. Objetos e esculturas representativas do Falo (pênis) eram iconografias religiosas primitivas, significando a fertilidade e prosperidade. As vênus da Era Clássica também representavam as dádivas através de figuras femininas com o ventre avantajado. Nestes momentos da história, o santo ou deus não parece ser tão distante e tão pouco intangível, podendo até falar sobre sexo.

É o que ocorre na tradição dos orixás, onde muitos representam a força puramente carnal ou sexual, além daqueles que discutem as nossas vontades ou preferências sexuais. Carma, feitiço, missão espiritual... também entre os esotéricos dos chacras, tentando sempre aliviar as energias, inclusive as sexuais.

Eros por Pierre Et Gilles
Além da religião, as relações familiares entre pais e filhos, no intuito de ensinar aos jovens, também já tiveram momentos mais liberais, seja nas sátiras sexuais em gravuras pornográficas japonesas (e o Kama Sutra, o primeiro livro didático para o comportamento sexual humano), ou pelas diferenças culturais entre um índio e um homem branco, por exemplo.

Entre os santos católicos, o assunto fica delicado por se tratar de uma liturgia que não comenta o sexo ou sobre os prazeres sexuais, sem cristalizá-los como pecado ou vício. Mas não é novidade nem raro a ideia de admirar uma escultura de um santo como São Sebastião, com o peito nu e em chagas, corpo musculoso de soldado e aquele irresistível semblante de coitadinho. Não é por menos que ele é o santo predileto dos gays. Momentos como o batismo por São João Batista, com imagens dos santos com suas vestes molhadas, também causa uma natural curiosidade sensual em pelo menos saber como seriam seus corpos.

A dupla de artistas plásticos (fotógrafo e pintor) Pierre Et Gilles, famosa pelo trabalho na alta arte homoerótica, realizou diversas fotografias com motivos mitológicos ou cristãos. A técnica consiste em retocar fotografias com uma pintura detalhista, tornando a foto um retrato de um ambiente fantástico. Só no tema São Sebastião, a dupla criou várias versões. Além dos santos católicos, os artistas também retratavam as vastas histórias dos deuses da mitologia grega, mostrando que seus próprios mitos estão, muitas vezes, relacionados diretamente com a sexualidade (veja mais fotos no final da postagem).

Com uma estética parecida, o fotógrafo Ronaldo Gutierrez foi o autor das fotos polêmicas que ilustraram a campanha de camisinha. Ronaldo já havia desenvolvido o trabalho antes da campanha e, embora não seja católico, o fotógrafo diz ter estudado a Bíblia durante anos, fascinado com as histórias dos santos, e se inspirando nas imagens da Arte Sacra.

Cristo negro e sensual no videoclipe Like a Prayer (Madonna)
Polêmica também foi a cantora Madonna, no videoclipe Like a Prayer, com uma estátua de um Jesus negro que se transformava em carne e osso: um belo homem, que ia se tornando cada vez mais humanizado, até terminar o clipe dançando com o coral gospel.

Se é pecado, sacrilégio, blasfêmia ou simples desrespeito, saiba que nem sempre esta é a intenção. São apenas considerações sobre o óbvio lado sexy dos santos e deuses, assim como as musas e ninfas - tanto que chamamos alguém muito bonito (a) de deus ou deusa. Até porque os deuses são geralmente figuras humanas (se fomos feitos 'à imagem e semelhança de Deus'), parecidos conosco, meros mortais.

Quase todas as representações de Cristo são feitas com imagens de um homem lindo, magro e ainda de olhos azuis! Sem falar no principal ícone da crucificação, onde o mártir se apresenta praticamente nu. Imagine o efeito que esta imagem fazia nas pessoas quando não se via nunca ninguém pelado. Se fosse do tipo Shiva, com a pele azul, ou com os braços duplos, talvez não seria tão atraente. (Se bem que eu faria Shiva facilmente!).

A sensualidade dos deuses e santos é mais relacionada as suas representações iconográficas do que pelo lado pessoal ou fatídico do santo ou mito. Lê-se 'aquela pintura ou escultura de São Sebastião é bem erótica' e não 'São Sebastião é muito sexy'. O erotismo sempre foi uma ferramenta utilizada pelos artistas, não diferente para as artes encomendadas por igrejas e suas confrarias (muitas obras foram até acusadas de pactos satânicos... maçonaria, como foi o caso do painel de Cândido Portinari na Igrejinha da Pampulha, em Belo Horizonte).

>> Veja mais imagens de
       Santos Católicos em fotografias sensuais
       por Ronaldo Gutierrez:















>> Veja mais imagens de
       São Sebastião por Pierre Et Gilles






Mais sobre
Pierre Et Gilles

3 comentários:

  1. Não sou católico, nem tão pouco tenho alguma religião, mas considero sim falta de respeito utilizar dessas imagens para realizar protestos. Pois isso agride e fere os sentimentos das pessoas q creem nessas santidades.
    Sei q vão falar q eles nos agridem bem mais com seus discursos de preconceito, porém não não sou do tipo q acredita q uma agressão é pretexto pra outra.
    É minha opinião...

    ResponderExcluir
  2. adoro essa mistura sacra com erotismo adorei o texto o sexo sempre fez parte de tudo na civilização!

    ResponderExcluir

Este comentário poderá ser publicado no novo site homemrg.com