24 de set de 2013

Cinema: Locked Up (e versão pornô)

Sexo explícito ou... corta!

Na verdade, o filme alemão Eingelocht (In The Hole, nos EUA; ou No Buraco) foi produzido originalmente em  2004 pela produtora Cazzo Films, conhecida e premiada no mercado pornográfico. Por ser daqueles filmes pornô com história além de sexo, a produtora americana TLA Releasing (filmes com temática gay) o reeditou, cortando as cenas de sexo explícito, e lançou o romance com o título Locked Up (em alemão, Gefangen, ou traduzindo, Preso / Trancado / Encarcerado).

Veja as duas versões do filme: Gefangen (Locked Up / Preso) e o original pornô Eingelocht.

Gefangen (Locked Up / Preso)

Eingelocht (In The Hole / No Buraco) Pornô Original - 92:43


Sinopse

Dennis (Marcel Schlutt), um bonito e tímido jovem, é preso por causa de fraudes com um cartão de crédito. Dentro da prisão, ele se encontra rodeado por verdadeiros criminosos, convivendo com o medo, angústia e perseguição. Neste ambiente, conhece Mike (Mike Sale), um corajoso homem que enfrenta todos os desafios que a prisão oferece. Num cenário nada apropriado, Dennis e Mike lutam para viver uma grande paixão.

Para os desavisados, ver a versão de cinema normal pode levar a considerar o filme pejorativamente como pornográfico, sem saber que o é de fato. Ou até criticar as atuações simplórias dos atores, desconhecendo que são todos astros pornô. Por outro lado, quem assiste a versão original e sem cortes vê um filme repleto de detalhes e super produzido, com uma história relevante além da pura pornografia.

Eingelocht ou Gefangen foi dirigido por Jörg Andreas, com o roteiro escrito por ele e Peter Oehl. As duas versões tem 95 minutos e ambas possuem cenas que a outra não tem. Como se tivesse em mãos um longa-metragem 'bruto' (para edição), e transformado-o em dois filmes diferentes: um que insinua e outro totalmente explícito. Ou a versão de cinema convencional, enfatizando mais o sofrimento na prisão, solidão e o romance entre dois presos (drama), com o pornô mais direto, focado justamente nos prazeres possíveis naquele ambiente de fantasia sexual (fetiche).

Para a versão cult (vamos chamar assim) o local onde se desenrola o romance é considerado "pouco apropriado", de acordo com a própria sinopse. Já na versão pornográfica, a prisão continua como um pano de fundo, porém com a finalidade de tornar as cenas ainda mais eróticas. Afinal, entre os filmes pornô gay masculino, o cárcere é um dos fetiches mais retratados, seja na cadeia, no presídio, ou simulado em uma prisão imaginária em qualquer lugar (também em muitos inferninhos e casas de sexo gay, principalmente do tipo hardcore e, ou leather / couro, com gaiolas e grades inspiradas em prisões).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário ou envie sugestões, fotos e vídeos para homemrg@gmail.com