2 de set de 2013

Cinema: Eu te amo Renato

Quem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração
E quem irá dizer que não existe razão...

No clima da música Eduardo e Mônica, Eu te amo Renato (2013) é um longa-metragem de Fabiano Cafure, onde o romance vira drama no auge dos anos 90, e ao som da Legião Urbana. O filme, de produção independente, conta a história do trio de amigos Beto, Adriana e André, e suas descobertas e amadurecimento interpessoal pelo interior do Rio de Janeiro, na cidade de Valença.
Veja filme completo Eu te amo Renato (versões do Vimeo e Youtube):




Sinopse

Eu te amo Renato é um filme sobre liberdade e amor na perdida década de 90. A história se passa no interior do estado do Rio, na histórica cidade de Valença. O ano é 1996, ano que marca o fim da famosa geração coca-cola, a morte da máquina de escrever e das cartas escritas à mão. Beto, Adriana e André embarcam em uma jornada de descoberta, música e desejo. Até que suas vidas e de toda uma geração é mudada para sempre!


Dois amigos de infância se reencontram e conhecem ainda mais um do outro, através de um triângulo amoroso que não se fecha - ele ama o outro e o outro ama ela, ou mais ou menos isso. Contudo, no convívio e entre uma brincadeira e outra, os desejos, já existentes em cada um, começam a querer mais, externando-se em carícias para se concretizarem de fato. Tudo embalado por músicas que funcionam como uma narração do filme, ou suas cenas como ilustração das letras de Renato Russo.

Com trilha sonora composta por músicas da banda Legião Urbana, podemos resumir um dos protagonistas Beto em '... gosto de meninos e meninas'. Mas as vontades e sentimentos destes jovens sendo, muitas vezes, mal interpretados pelos outros, incluindo familiares, que esperam um formato único e engessado de relacionamento amoroso, podem surpreender até o final da trama.

Em contrapartida, diversas maneiras de casamento vem aparecendo ultimamente, assim como o boom das novas tecnologias eletrônicas do final do século 20 - o filme se passa nos anos 90, década do início da globalização, das novas formas de telecomunicação e, consequentemente, de relacionamento e exposição social relacionada à sexualidade - a sinopse do filme fala em 'década perdida'. O velho sair ou não do armário ainda era uma questão complicada, bem mais do que duas décadas depois, nos dias de hoje.



Um comentário:

  1. To vendo agora vc e de mais cara eu tenho 14 anos mais sou visitante do blog,rsrsrs

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário ou envie sugestões, fotos e vídeos para homemrg@gmail.com