16 de set de 2013

Cinema: Beautiful Boxer

Socos, pontapés e batom!

Você consegue imaginar nas lutas de MMA um lutador que se apresenta no octógono maquiado e de batom? É o que conta o longa Beautiful Boxer (2004), filme baseado na história verídica da transexual, modelo e atriz tailandesa Parinya Charoenphol.

Até mudar de sexo em 1999, Nong Toom, como ficou conhecido, foi um dos lutadores de kickboxing mais famosos da Tailândia, inclusive pelo fato inusitado de sua identidade de gênero feminino, em um esporte tão agressivo, logo tão másculo.

Veja o filme completo:
Beautiful Boxer (2004)
1h 48min Legendado BR



Lutando para ser mulher

Dirigido por Ekachai Uekrongtham, o drama conta a história de Nong Toom (Asanee Suwan), nascido em uma pequena comunidade, onde sua família lutou contra a pobreza, e ele próprio foi alvo de machões homofóbicos que zombavam do seu jeito delicado.

Desde sua infância, Nong Toom se sentia mais como uma garota do que um menino (identidade de gênero), e quando ele encontra um transexual pela primeira vez, chega à conclusão de que ele também era uma mulher presa em um corpo de homem.

Embora de natureza nada agressiva, Toom é um dia forçado a lutar contra um valentão para defender um de seus amigos, e ele descobre que tem um talento natural para a luta. Ele então começa a ter aulas com o respeitado treinador de kickboxing Chart Pi (Sorapong Chatri). Apesar dos esforços de Nong Toom e seu melhor amigo Pi Bua (Natcha Bootsri), não demoram para perceberem seus segredos, que consistia basicamente em se maquiar escondido. E para sua surpresa, seu treinador Pi Chart aceita Nong Toom como ele é, e até o promotor de boxe Pi Mo (Somsak Tuangmukda) usa seu visual 'exótico' como uma sacada de marketing.

A maioria ainda acreditava que Toom fazia isso para chamar atenção, e o lutador declara que seu estilo com roupas e maquiagem femininas não era uma piada, e de que o objetivo real seria ganhar dinheiro com os prêmios das lutas para um dia ter uma operação de mudança de sexo.

Atualmente, Parinya Charoenphol (1981), mais conhecida como Nong Thoom , Nong Toom ou Nong Tum, é modelo e atriz, cada vez mais bela e feminina. Veja a progressão na foto ao lado.

O ex campeão de muay thai teve sua notoriedade em 1998, quando venceu uma luta em Bangkok no badalado Lumpini Boxing Stadium, e ainda beijou o adversário depois de derrotá-lo. O filme elucida que este gesto foi um pedido de desculpas de quem não gostava de bater em ninguém. Embora os tailandeses tenham rejeitado outras tentativas de participação de transexuais nos esportes, o muay thai realmente abraçou a causa, fazendo de Nong Thoom uma das maiores celebridades daquele país. E claro que nem tudo foi flores. Além da mídia sensacionalista, alguns críticos de visão preconceituosa faziam o desfavor de acreditar que Toom era um insulto para a cultura daquele esporte viril.

Além de conhecer sua história de lutador (a), nos dois sentidos da palavra, o filme apresenta toda a beleza da cultura oriental, mais especificamente do seu esporte mais popular. Realidade e sonhos se mesclam para representar as emoções do protagonista, os preconceitos enfrentados e, talvez, a principal mensagem: a perseverança em ser verdadeiro - em várias cenas podemos constatar que o que vale mesmo é ser sincero. FredG.


Crítica
Mario “Abbade
Uol Cinema 5/10/2004 Beautiful Boxer

A vida do transexual Parinya Charoenphol é uma história que já nasceu para virar filme. Na Tailândia, ele é afetuosamente conhecido como Nong Toom - exímio lutador de boxe tailandês que passou por uma cirurgia de mudança de sexo. Assim, com esta ótima matéria-prima, Ekachai Uekrongtham estreia com o pé direito em sua carreira de diretor de longas-metragens.

Em Beautiful Boxer, o contato com a biografia do transexual vem por meio de uma entrevista que ele concede a um jornalista. No bate-papo, todas as passagens importantes são relatadas e aprendemos que, desde a infância, Nong Toom acredita ser uma mulher aprisionada em um corpo masculino.

Assim, ele decide aprender e dominar um dos esportes mais viris do planeta, o muay thai, também conhecido como boxe tailandês. Seu objetivo é disputar o torneio nacional, tornar-se campeão e assim viabilizar seu sonho: uma operação de troca de sexo. A escolha do ator para personificar a história foi perfeita e corajosa. Asanee Suwan é lutador de boxe tailandês na vida real e se entrega ao papel. Ele interpreta a feminilidade de Nong Toom com dignidade e graça. Sua performance é naturalista. Um trabalho feito com o coração. Ele chegou a fazer aulas de balé clássico para suavizar seus passos no ringue. Não à toa, foi o vencedor do Prêmio Supannahongsa (considerado o Oscar tailandês) como Melhor Ator.

O cineasta Ekachai Uekrongtham fez um filme sentimental sem cair no melodrama. Estão lá várias cenas clichês, mas o uso do humor abrandou as emoções. Ele teve uma ótima ideia ao colocar uma mulher sem face acompanhando todas as fases da vida de Nong Toom, uma metáfora para demonstrar que Nong sempre se sentiu mulher.

As cenas de luta são filmadas como um balé bruto, sem truques ou ângulos rebuscados. Essa escolha garante um ar documental à produção.

As paisagens da Tailândia também são um caso à parte, pois o diretor as usa para equilibrar as emoções do protagonista. A cada tom dominante, percebemos a mensagem. As cenas mais claustrofóbicas, por exemplo, remetem à prisão que Nong Toom sentia por estar no corpo errado. Beautiful Boxer é genuinamente comovente. Uma declaração orgulhosa de ruptura para a comunidade gay tailandesa. Mesmo assim, não é um filme direcionado apenas à platéia gay. É uma biografia que lança um raro olhar na luta de um indivíduo para ser verdadeiro com suas crenças, não importando o custo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário ou envie sugestões, fotos e vídeos para homemrg@gmail.com