29 de set de 2013

Gay Mangá e a arte dos quadrinhos

Contos ilustrados

Chamamos de Mangá as histórias em quadrinhos com estilo japonês - no Japão, o termo serve para qualquer tipo de HQ. A origem desta arte vem do Oricom Shohatsu (Teatro de Sombras), comum na época feudal, percorrendo os vilarejos e contando lendas por meio de fantoches. Essas lendas começaram a ser registradas e ilustradas em rolos de papel, dando origem às histórias em sequência e, consequentemente, ao mangá.


Veja nesta postagem:
Lista com os nomes e websites
de ilustradores de mangá
com temática gay


No período Edo do Japão, em que os rolos foram substituídos por livros, as estampas eram destinadas à ilustração de romances e poesias, mas logo surgiram nos chamados 'livros para ver', em oposição aos 'livros para ler' - tudo antes do nascimento da estampa (individual) com uma única ilustração: o ukiyo-e no séc. XVI. E o precursor da estampa de paisagens, Katsushika Hokusai, intitulando suas célebres caricaturas (publicadas de 1814 à 1834 em Nagoya), cria a palavra mangá significando "desenhos irresponsáveis" - escrita em japonês das seguintes formas: Kanji (漫画), Hiragana (まんが), Katakana (マンガ) e Romaji (Manga).

Com o passar do tempo e com os avanços da tecnologia, os mangás de hoje são bem diferentes daqueles produzidos lá no início, no período Nara (século VIII d.C.), com o aparecimento dos primeiros rolos de pinturas japonesas: os emakimono. Eram pinturas com textos explicativos, parecido com as legendas atuais, auxiliando a contar uma história a medida que eram desenrolados.

O sentido de leitura de um mangá japonês
Ou como os storyboards, nome dado aos roteiros detalhados de cinema, com imagens pré-visualizando o filme ou animação, os mangás deram origem aos animes exibidos na TV (desenho animado japonês), em vídeo ou nos cinemas. Por outro lado, também há o processo inverso em que os animes tornam-se uma edição impressa de história em sequência com ilustrações - quadrinhos. O formato atual do mangá surge no início do século XX sob influência das revistas comerciais ocidentais, principalmente as americanas, aparecendo também nos jornais como tiras de humor e sátiras sociais e políticas. E não demorou muito para estes quadrinhos abrangerem todos os assuntos, inclusive os reservados ao público adulto.

A categoria HQ adulto pode ser subdividida em romances, histórias de heróis, situações do trabalho, familiar ou do cotidiano, e os que retratam contos eróticos, com figuras hetero, bi ou homossexuais - estes podem ser mais pornográficos ou apenas insinuando com sensualidade.  Para os que gostam de anime e desenho oriental, separei aqui alguns dos melhores ilustradores do mangá com temática gay atual.

Mesmo não conseguindo ler os balõezinhos (legendas), a facilidade das ilustrações quase quadro-a-quadro dos HQ facilita uma leitura, mesmo que básica, por qualquer pessoa - afinal, uma imagem pode dizer mais do que palavras. São desenhos que vão do hiper realista aos mais caricatos, exagerados e evidenciando os músculos e genitais, ou na sutileza dos detalhes do figurino ou das formas físicas da figura masculina... tatuagens, fetiches, fantasias sexuais, beijo na boca e sexo explícito.


Gengoroh Tagame





Seizoh Ebisubashi






Kazuhide Ichikawa








Tama







Takeshi Matsu







Tsukasa Matsuzaki






Jiraiya








Kenta









SUV










Terujirou









Moritake







Gai Mizuki





7 comentários:

  1. Respostas
    1. Troca nudes?
      Vamo bater um papo no whatsapp?!

      Excluir
  2. Adoro a arte do bará mangá. Muito melhor que yaoi.

    Meus artistas favoritos do estilo são Takeshi Matsu e Mentaiko.

    Obrigado pelo post.

    ResponderExcluir
  3. Alguém aí tem whatsapp?
    Manda o numero, que sabe a gente não troca nudes?!:)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Manda seu número e eu te chamo.

      Excluir

Deixe aqui seu comentário ou envie sugestões, fotos e vídeos para homemrg@gmail.com