12 de jan de 2014

Arte: Impressões de Robert Flynt

O ilusionista

Com uma técnica simples, montagens fotográficas ou impressões a jato de tinta sobre papel, o norte-americano Robert Flynt (Williamstown / Massachusetts, 1956) mistura imagens prontas, transformando-as em uma outra nova e exclusiva, sendo cada trabalho uma peça única.

O papel, podendo ser uma página de um livro desmembrado, é usado como suporte para uma fusão de imagens, impressas feito colagens, nas obras de Flynt.

Com temática figurativa, a figura masculina é contemplada e representada em quase toda a coleção do artista. Muitas delas, sugerindo homoerotismo e surrealidade, com a estética das radiografias (negativo) que, oportunamente, dialoga com as imagens de 'dissecação' do corpo masculino, criando com isso diferentes espaços e dimensões - ainda que em obras bidimensionais.

Um clima de "hipnose" (nome de uma de suas séries), e até sombrio, toma conta da obra de Robert Flynt, com experiências revelando outros experimentos. Figuras originadas de ilustrações, fotos ou revistas, que lembram xifópagos, ilusões de ótica ou, feito uma sutil confusão mental, com cenas simultâneas e expostas uma sobre as outras... Velando e revelando um erotismo pornográfico e explícito.

Com base nas artes gráficas e visuais do final do séc. XX, incluindo a fotografia, Flynt revela seu intuito na pesquisa artística pelas linhas e 'energias' corporais, elegendo principalmente o homem como referência: "A minha principal preocupação é a de re-imaginar o corpo humano em relação a sua própria estrutura palpável, bem como a 'outras' (outros corpos, espaços ou sistemas)" - robertflynt.com.

As fotografias realizadas por ele, para serem usadas nas montagens fotográficas, são feitas em situações especiais, com pouca luz no estúdio ou debaixo d'água, para evidenciar certas partes, texturas ou silhuetas.

A narrativa dos trabalhos levaram o artista a desenvolver alguns dípticos e até painéis, como apresentação de uma sequência, substituindo a montagem e composição por sobreposições (camadas e espectros).

Robert Flynt expõe nos EUA desde a década de 80, incluindo participações em coletivas e colaborações em instalações. Alguns trabalhos são parte de coleções, como do Museum of Modern Art de NY, do Metropolitan Museum (The International Center of Photography, NY), e do L.A. County Museume, além de importantes galerias de arte. Em 2012, teve sua obra destacada no Naked Before the Camera (Nu diante da câmera), do Metropolitan Museum of Art, em Nova York. Sua monografia Fratura Exposta (publicada pela Twin Palms Publishers, 1996) recebeu uma menção de "Melhores Livros do Ano" do American Institute of Graphic Arts.


Robert Flynt -Yellow Room (animation sequence)


Galeria:
Robert Flynt























 

7 comentários:

  1. É sempre um prazer ler esse blog. Afinal tem tudo na medida certa: sexo, cultura, entretenimento e bom gosto. Parabéns ao criador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, Maycon! Sinta-se à vontade também para enviar sugestões e 'registros gerais' ;D Saudações!

      Excluir
    2. Opa! Fico feliz de ter me respondido nunca havia visto nenhum comentário, mas pode deixar que vou me sentir em casa. Hahaha.

      Excluir
  2. Parabéns pelo texto e escolha do artista!

    ResponderExcluir
  3. Quero pau soy passv 4199988960

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário ou envie sugestões, fotos e vídeos para homemrg@gmail.com