30 de ago de 2013

RG: Pintura de Putin usando lingerie é apreendida pela polícia da Rússia e artista foge do país

Putin(ha) de calcinha e sutiã

Fiz de tudo para não postar sobre as barbáries homofóbicas na Rússia, diante tanto asco. Mas a mais nova do governante daquele país, Vladimir Putin, foi confiscar uma obra de arte. A pintura em questão (foto) é um retrato de Putin com o primeiro-ministro Dmitry Medvedev vestindo lingerie feminina, do The Museum of Power de São Petersburgo, do artista Konstantin Altunin.

Além do fechamento da galeria, a polícia russa confiscou vários outros "retratos satíricos" do pintor, incluindo um do líder da Igreja Ortodoxa Russa com tatuagens, e outro do legislador anti-gay Vitaly Milonov com uma bandeira de arco-íris no fundo. Diante tanto abuso, não restou outra alternativa ao artista a não ser fugir daquele país.


Veja esta e outras imagens das obras confiscadas, incluindo o filme "Desde a Confissão", onde o artista cobre de tinta colorida / arco-íris um busto do revolucionário e antissemita Lenin (o criador do 'nazismo' russo):






Claro que é uma arte de protesto, assim como as cenas horrendas de tortura na prisão de Abu Ghraib, denunciadas por Fernando Botero em 2005. Importante lembrar que estas são coisas características e genuínas das artes, no intuito de transformar o mundo, chamar a atenção das pessoas para uma questão importante, influenciar, além de retratar também as belas paisagens da vida. Aliás, a beleza artística nem sempre é bonitinha. Veja um dos trabalhos de Botero da série Abu Ghraib:





A reportagem do jornal Washington Post (28/8/2013) lembra que este tipo de manifestação não foi a primeira na Rússia. O país tem uma lei contra ações insultuosas a autoridades, passível de prisão de um ano, que permitiu o Ministério da Cultura fechar uma exposição de arte de alto nível sobre o "lado obscuro das Olimpíadas de Sochi", em junho deste ano.

Museum of Power também não se esquivou da polêmica, e se intitulou como "o único museu dedicado às pessoas que nos governam", com o mesmo intuito da exposição Shock (choque) de AltuninVeja a reportagem do jornal Washington Post:


Painting of Putin in lingerie seized by Russian police (Pintura de Putin com lingerie é apreendida pela polícia russa)


A galeria e o autor das obras confiscadas não pretendem deixar barato estes abusos da política homofóbica da Rússia. Em sua página no VK  (o equivalente russo do Facebook), The Museum of Power denuncia a ilegalidade da apreensão, e reclama que a polícia roubou também dinheiro e materiais promocionais, além das pinturas.

A galeria pediu aos seus seguidores para enviar fotos e vídeos das exposições para ajudar a comprovar seu acervo diante do tribunal sobre as peças de arte que foram levados.

Suponho que Putin deu a Elza para completar seu acervo pessoal e deleite - dizem que todo homofóbico é um gay enrustido e intolerante consigo mesmo! Dizer que estes atos de insanidade, em pleno século 21, são lamentáveis, repulsivos ou abomináveis parece ser ainda pouco para tanta loucura.

Mais fácil acreditar que estas são pessoas traumatizadas com algo mais profundo, ainda no antissemitismo de Lenin (versão russa de Hitler), e toda uma história de política altamente machista e hipócrita, pois todos sabem que a homossexualidade é fato e natural. Assim, deixo esta reticente imagem para refletir - uma propaganda japonesa da época da guerra Japão X Rússia:

Artista desconhecido. Gravura japonesa moderna (shunga). Séc. XX
Veja o texto da gravura:


Soldado russo diz:
Eu acho que já estou morrendo.


Soldado japonês:
Eu vou acabar com você agora.

Russos:
Corra rápido!

Um comentário:

  1. Guardado como favorito , Me gusta tu blog

    Feel free to surf to my web site resveratrol

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário ou envie sugestões, fotos e vídeos para homemrg@gmail.com