28 de jul de 2013

Cinema: Clapham Junction

Presos no armário

Clapham Junction é um longa-metragem com temática gay, produzido para a TV britânica em 2007. Foi escrito por Kevin Elyot e dirigido por Adrian Shergold. O filme mostra as experiências de cinco homens, durante 36 horas no Clapham, uma conhecida área gay de Londres, e as conseqüências quando estas vidas se encontram.

Foi transmitido pela primeira vez no Channel 4 (22/7/2007), repetido em 2009, e posteriormente lançado em DVD. O drama varia entre o leve e o trágico, reportando situações comuns e ainda muito possíveis no universo gay. Tabus como homofobia, pedofilia, violência, tolerância... são tratados de forma descritiva, e de posicionamento crítico neutro - como se estivesse dizendo: 'estou apenas contando o que aconteceu'.
::  Assista ao filme completo Clapham Junction (legendado em português): 



Sinopse

Clapham Junction é um drama britânico único, provocante e poderoso feito para a televisão. Foi escrito pelo aclamado dramaturgo Kevin Elyot sobre as experiências de vários homossexuais durante 36 horas em Londres e as conseqüências devastadoras quando suas vidas se colidem. Clapham Junction faz menção ao nome de uma uma estação de metrô na zona sul de Londres.


O filme começa numa festa de casamento entre dois noivos e, a partir daí, pelo menos cinco histórias são contadas, entre escola e trabalho, bares e clubes, durante as noites quentes de um verão em Londres. Os principais personagens e enredos são brevemente introduzidos: Danny (Jared Thomas) é mostrado andando por um túnel abandonado, usando uniforme escolar; Robin (Rupert Graves) caminha para o estúdio do Canal 4; Theo (Luke Treadaway), de 14 anos de idade, pegando seus livros no armário para ir à escola; e Terry (Paul Nicholls) indo ao trabalho, dirigindo e com fones de ouvido. Vemos então Danny tocando violino, antes da primeira cena com Robin que tenta vender um roteiro que está finalizando.

Mas o roteiro é rejeitado, apresentando, com isso, um resumo da narrativa geral do filme todo - questionando a ideia de que a igualdade jurídica e a plena aceitação da mídia poderão fazer com que ser gay não seja um problema, eliminando preventivamente as possíveis violências relacionadas aos gays.

O filme foi mostrado na TV como parte de uma curta temporada pelo Channel 4, para comemorar o 40º aniversário da descriminalização da homossexualidade na Inglaterra e no País de Gales. O drama causou polêmica e recebeu uma reação mista - particularmente dos telespectadores gays que viram uma imagem negativa para os homossexuais, embora alguns achassem inteligente e instigante.

O produtor Day Elinor afirmou na The Independent que a intenção era a de aumentar a conscientização sobre a homofobia. Em entrevista ao The Telegraph, o escritor Kevin Elyot ressaltou  que não tinha a intenção de causar um drama para os telespectadores: "Este filme não é absolutamente isso ... Eu nunca, nunca - espero - apontar o dedo", disse ele.

Na primeira exibição em 22 de julho de 2007, a música I'm With Stupid, da dupla britânica Pet Shop Boys, foi usada como trilha de uma das cenas contendo agressão homofóbica. O assaltante da cena, Terry, interpretado por Paul Nicholls, disse a vítima que agrediu que odiava os PSB. No entanto, quando o programa foi repetido no canal digital do Channel 4 More4 poucos dias depois, em 30 de julho de 2007, a cena tinha sido alterada e o nome Pet Shop Boys retirado do contexto, a pedido dos próprios músicos.

No painel de cinco histórias com conflitos relacionados à homossexualidade, o filme passa pelos casos e ambientes gays, como a violência homofóbica, o casamento gay copiado da união estável heterossexual e a fidelidade, a pedofilia ou as descobertas homossexuais precoces... Assim como as boates, clubes, banheiros públicos e ruas desertas, sem, contudo, fechar um posicionamento ou receitinha, sendo a moral da história construída também pelo espectador. Aliás, é mostrado no filme que mesmo com estes lugares tradicionalmente gays, os encontros e atos homoafetivos podem acontecer em qualquer lugar, até mesmo com o vizinho ou na festa do próprio casamento.  Veja mais imagens do filme Clapham Junction:





2 comentários:

  1. Achei o filme ótimo, vago em algumas partes, mas ainda assim otimo para se assistir e refletir.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário ou envie sugestões, fotos e vídeos para homemrg@gmail.com