7 de out de 2015

Polished Man: uma pinta por uma boa causa!

Moda e ativismo: uma única unha pintada contra todo abuso infantil

Ao ver um homem com apenas uma de suas unhas e de uma das mãos pintada com esmalte colorido, logo imaginamos: deve ser mais uma moda, mania teen ou nova febre entre os fashionistas ou, ainda, um código secreto gay - e será que cada cor simboliza uma predisposição para algo específico? - e por aí vai, variando conforme nossa criatividade. Aliás, por que não? Mas a ideia original (australiana) é uma só e bem digna, diga-se de passagem: é o projeto #PolishedMan, representando o único dedo pintado, entre os cinco que possuímos em cada mão, a relação de 1 em cada 5 crianças que foram vítimas de abuso sexual, em algum momento de suas vidas - 20% dos que ainda não completaram 18 anos.

No desafio em acabar com esta violência contra crianças, logo, indefesas, a curiosa campanha tem como objetivo aumentar a consciência e fundos para apoiar esta alarmante proporção de 1 em cada 5 crianças que sofrem violência física e sexual antes de chegarem à maioridade. Assim, o australiano Elliot Costello surgiu com a ideia de pintar uma das unhas das mãos, de forma que simbolizasse a causa do grupo, após uma visita com o também filantrópico Hagar International in CambodiaClique aqui e saiba mais sobre os projetos da ONG YGAP

Ele conheceu uma jovem chamada Thea e, devido a barreira do idioma, os dois brincaram com joguinhos por horas. No final da noite, Thea desenhou um coração na palma da mão de Elliot e pintou depois todas as suas unhas de azul.

Elliot Costello havia desembarcado no Camboja  para ver como eles poderiam fazer alguma coisa nesta área de desfavorecidos. Por sua vez, uma garotinha local o impressionou, onde percebeu que o problema habitava no Camboja, bem como em crianças do mundo todo, incluindo especialmente os lugares ditos desenvolvidos, como os EUA e países europeus. Enquanto falavam sobre suas vidas e também de suas lutas, ele soube que a menina tinha sido abusada sexualmente. Naquele momento, Elliot disse que iria sempre deixar um dos dedos pintados para sempre se lembrar dela (verdadeira musa inspiradora) e também da própria dor.

Polished Man - Thea's Story - CEO&Co-Founder Elliot Costello 

Elliot saiu dessa interação cativante revigorado e com idéias para fazer diferença entre os homens, em favor da segurança das crianças de abusadores sexuais, majoritariamente homens. Daí a ação Polished Man, que incentiva os homens a aderirem ao #PolishedMan, pintando uma unha com esmalte colorido por uma semana (1 em 5, lembra?). Este gesto representaria as crianças que foram vítimas de violência sexual, em algum momento de suas vidas.

Ele percebe também que são os homens que devem ser a voz desta mudança, para acabar de vez com estes abusos a inocentes, uma vez que 96% deste tipo de violência contra crianças, em todo o mundo, é realizada por homens. Assim, eles podem ser os líderes dentro de suas enormes e respectivas redes sociais, locais de trabalho e, especialmente, em suas próprias casas. O YGAP quer que homens de todas as idades participem, pois dariam o exemplo a todos e poderíamos sim acabar com a violência contra as crianças (e é importante que elas também saibam, para não caírem em armadilhas ou ficarem com medo de denunciar tal delito).

Maiores informações sobre o projeto, incluindo como fazer doações, podem ser acessadas através do site polishedman.com, mas podemos adiantar como funciona para quem quer ajudar. Além da repercussão e consequente abertura de um debate tão importante, e de uma forma global, gerando positivas atenções ao tema e promovendo mudanças que vão desde as domésticas, dentro de casa, a alterações na legislação ou códigos de conduta, postura e justiça sociais, os grupos e ONGs que a campanha apoia acolhem crianças que sofreram de violência e são ainda mais vulneráveis por viverem na pobreza.

Segundo os estudos, os riscos de abuso infantil são aumentados ainda mais se estes forem resultado de uma gravidez indesejada, filho renegado, com dificuldades nos estudos, em concentração, ou uma mãe que não tem acesso a cuidados básicos de saúde, nem intimidade ou tempo suficiente para seus filhos, pais com problemas com drogas, principalmente o álcool, deficiências físicas, mentais, entre outras supostas motivações para atos tão covardes. Com o intuito de reduzir esses riscos, fornecendo apoio aos empresários locais, de impacto em comunidades marginalizadas, auxiliando na mudança de vida entre as pessoas pobres e carentes, melhorando os resultados do ensino infantil, fomentando a redução no uso de drogas, ajudando com o acesso aos cuidados com a saúde e na conquista de emprego aos adultos, além do apoio a crianças com deficiências físicas e mentais, quem financia o programa contribui diretamente na redução desses riscos, de uma criança sofrer violência em sua comunidade ou no próprio lar, como ocorre na maioria das vezes.

Por haver uma grave escassez de grupos que podem fornecer apoio de emergência e recuperação de crianças que foram vítimas de violência, os fundos arrecadados irão ajudar estes grupos, entre eles, Childwise Australia, Hagar Cambodia, Samburu Girls Foundation Kenya,e Mothu Network South Africa. Seja a aderência à campanha pintando uma das unhas e levando o tema para todos os lugares, em casa, na mesa de bar, na balada, na pelada, no trabalho, na escola ou nas ruas, fazendo um divertido e antenado selfie, ou contribuindo financeiramente ou no voluntariado, a tal unha pode ser pintada ao gosto do freguês, variando as cores e até incluindo texturas, padrões ou desenhos geométricos, imagens, palavras de ordem ou protesto, etc. Independente do design, o mais importante é chamar mesmo a atenção de quem vê, especialmente se feito por homens, de todas as idades e estilos de vida, abrangendo assim o assunto em todos os meios e níveis sociais.




Esta atual tendência nos modos masculinos começou na Austrália, mas já fez seu caminho para os EUA e, com a Internet, aberta ao mundo todo. Por ser uma moda pouco convencional para os homens (e até para as mulheres), a campanha chama atenção justamente pelos constantes gestos de ostentação do orgulho aos inúmeros tipos e estilos da diversidade de gênero - o "desbunde geral" de Johnny Hooker, de Conchita Wurst ou do hilário personagem Ferdinando, interpretado por Marcus Magella, que sempre dão pinta, contrapondo toda esta liberdade a um assunto que nunca pôde ser subestimado. Os questionamentos na ótica das masculinidades também provocam os padrões machistas ou as regras sociais que foram impostas para segregar, amedrontar e controlar as pessoas, gerando daí as nossas frustrações e as violências humanas, ou desarticulando situações de poder que, por sua vez, são quem define ou permite tais abusos.

Contudo, pintar a unha e ainda com esmalte colorido pode ser um grande desafio para os homens, especialmente para os machões ou machistas, porém, valendo muito a pena este 'sacrifício' por uma causa tão nobre, logo a necessária participação de todos. Ao ver um homem com uma unha pintada, lembraremos por alguns momentos que existem centenas de milhares de crianças sendo abusadas a cada dia e sofrendo as conseqüências pelo resto de suas vidas.

Estes abusos, fora do âmbito domiciliar, são muitas vezes acobertados pela própria igreja (seja católica ou protestante), digo os hipócritas sociais, além de criminosas organizações exclusivamente criadas para práticas de pedofilia. E isso pode ser combatido, minimizado, se não extinto, começando com esta proposta inusitada para uma realidade tão triste: a perversão humana contra crianças. A evidência ao tema pode levar também a outras idéias, incluindo a capacitação de todos contra estes crimes, através da divulgação em massa do problema. Lançada no dia 1º de outubro, felizmente veremos cada vez mais homens com uma de suas unhas da mão pintada com cor atraente e vibrante, numa moda ativista ou de protesto, em memória a todas as crianças que sofrem ou sofreram de abusos sexuais - uma luta pela segurança de todos os meninos e meninas e das sagradas inocência e dignidade (humana) das crianças.

Galeria:
#PolishedMan























Veja também:
Cinema - filmes sobre abuso infantil

Song For A Raggy Boy - O Inferno de S. Judas

Mistérios da Carne, 2004

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário ou envie sugestões, fotos e vídeos para homemrg@gmail.com